A mamografia em 3D aumenta em 15% a capacidade de detecção do cancro da mama

Zaragoza, 14 de Janeiro de 2011

A detecção precoce do cancro da mama consegue reduzir anualmente em 2% a mortalidade com esta doença. Actualmente a cura situa-se nos 83% em relação a 75% de há uma década atrás. Estes numeros podem aumentar favoravelmente nos próximos anos graças à chegada da Tomossíntese ou mamografia 3D.

Segundo os ultimos estudos, a combinação desta nova técnica com a mamografia digital em 2D melhora a capacidade para detectar cancros em 15% e reduz a taxa de rechamadas (estudos complementares) em 29%.

A estas duas técnicas pode ser adicionada uma terceira, o sistema CAD (diagnóstico assistido por computador), uma ajuda na detecção do cancro da mama que permite ao radiologista dispor de uma ferramenta adicional de ajuda ao diagnóstica, validada internacionalmente pela FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos nos Estados Unidos). Durante a leitura de mamografias este sistema detecta grupos de microcalcificações malignas, acertando em mais de 97%, e outros tipos de lesões como massas, distorções e assimetrias, sempre com mais de 91% de sucesso.

El Centro de Diagnóstico de la doctora Paula Martínez Miravete, en Zaragoza, ha sido el primero de España en utilizar los tres métodos a través del Mamógrafo Digital Selenio Dimensions 3D. Hasta el momento, más de 600 pacientes han probado ya los beneficios de este novedoso aparato, del que se espera comience a expandirse por hospitales y centros sanitarios de todo el mundo.

“A principal vantagem desta nova tecnologia é que elimina a sobreposição de tecidos, isto é, que nos permite ver diferentes lesões que estão em camadas diferentes, o que aumenta a sensibilidade para o diagnóstico do cancro da mama. Antigamente, com o 2D era percorrido todo o volume do peito numa só imagem, agora dispomos de 60 imagens que permitem rever e descartar alguma patologia”, explicou a Dra. Martinez.

A Tomossíntese ou mamografia 3D consiste em realizar, com um mamografo digital especialmente adaptado para isso, pelo menos 15 projecções anguladas entre si, em apenas oito segundos.

Os objectos, em diferentes camadas da mama, são projectados de forma diferente em diversos ângulos, de tal forma que diminui ou elimina a sobreposição de estruturas permitindo identificá-las independentemente, separando o tecido normal do suspeito de cancro.

Na passada 6ª. feira, 14 de Janeiro, pelas 17:00hrs teve lugar o simpósio “Actualizaciones en radiología de mama”, onde os oradores Marina Álvarez Benito (Córdoba), Melcior Sentís (Barcelona), Mercedes Torres (Madrid) e Luis Pina (Pamplona), explicaram, perante mais de 60 pessoas, as vantagens que o novo Selenia Dimensions 3D oferece para a radiologia da mama.

A noticia teve repercussão em vários meios de comunicação como Antena 3 Televisión: ver video.

Aragon Televisión: