O serviço de Radiologia Mamária da UDIAT estreia o primeiro mamografo digital em 3D instalado num centro publico em Espanha.

A Tomossíntese é um grande avanço no diagnóstico precoce das lesões malignas da mama, dado que permite detectar lesões não palpáveis nem perceptiveis através da mamografia analógica nem da digital convencional. 

O Serviço de Radiologia mamária e ginecológica da UDIAT estreia na próxima segunda feira, 21 de Março, um novo mamografo digital em 3D, que incorpora a inovadora técnica radiológica da Tomossíntese e será o primeiro equipamento ,com estas características, instalado num centro publico em Espanha. Até agora só três centros privados dispõem desta tecnologia.

A Tomossíntese é a técnica mais inovadora existente actualmente no mercado para o disgnóstico precoce das lesões malignas da mama. Com a mesma dose de radiação que a mamografia digital – que já é 3 vezes inferior à da mamografia convencional – por cada exploração, podem ser obtidos 60 cortes tomográficos do volume da mama, o que equivale a 60 imagens entre 1 e 2mm cada. Com isso são conseguidos diferentes planos da mama, de diferentes ângulos e com a possibilidade de fazer a reconstrução destas imagens em 3D.

A aplicação desta técnica permite um estudo muito mais preciso do tumor, ao eliminar a sobreposição de imagens e aumenta a sensibilidade e especificidade do diagnóstico radiológico. Em consequência, reduz de forma significativa as indicações para biopsias desnecessárias e permite ajustar mais no tratamento a seguir.

O director do Serviço de Radiologia mamária da UDIAT, Melchior Sentís, aponta que o novo equipamento será utilizado em ambiente de assistência e, mais concretamente, com grupos de risco – mulheres com sintomas, com antecedentes de cancro, em seguimento do cancro tratado – e com as pacientes enviadas pelo Programa de Rastreio do Cancro da mama (PCCM).

Os profissionais deste Serviço registam uma actividade de cerca de 54.000 explorações de radiologia mamária anuais (média de 245/dia) que inclui a sua actividade assistencial e a de outros hospitais ou fornecedores de cuidados da saúde, assim como todas as explorações do PCCM. Trata-se de um serviço com um sólido percurso na colaboração com outras entidades através dos conceitos da rede de conhecimento, de unificar protocolos e critérios e fortalecer o âmbito da investigação e conhecimento, com o apoio das novas tecnologias da informação e a comunicação, nas quais a UDIAT é líder no país.

A incorporação deste aparelho no equipamento tecnológico da UDIAT foi possível pela aposta estratégica da Hologic-Emsor, graças ao prestigio pessoal e cientifico dos profissionais do Serviço de Radiologia mamária. A Hologic é a primeira produtora mundial, americana, dedicada à fabricação de material de diagnóstico por imagem dedicado à mulher.